Para quem ama bicicletas e costuma viajar com elas, planejar uma viagem pode ser estressante. Ciclistas, profissionais ou amadores, precisam pensar em toda a logística para transportar as suas bikes. Seja para competir, pedalar por lazer ou até mesmo no caso de uma mudança de cidade, o cuidado no transporte da sua bicicleta deve ser sempre motivo de muita atenção.

Por isso, o uso da mala bike é essencial pois garante segurança na hora de transportar sua bike em aviões, ônibus ou outros meios de transporte. Afinal, além do valor sentimental, as nossas bikes recebem muito investimento financeiro e, em alguns casos, são instrumento de trabalho! 

Para entender melhor o que deve ou não ser feito na hora de organizar uma mala bike para viagem, confira as nossas dicas abaixo.

1. Procure ajuda de um profissional na desmontagem

A maior parte das malas exige que você retire a roda dianteira, abaixe o selim, solte os pedais e vire o guidão para diminuir o volume e facilitar o transporte. Por isso, a dica é que você tenha um registro de todas as suas alturas-chaves para que o seu bike fit não seja perdido neste processo.

Se você não tiver habilidade ou conhecimento para realizar a desmontagem da sua bike, não se preocupe pois oficinas e lojas especializadas oferecem este serviço. No seu destino, você também pode pedir ajuda de profissionais para remontar sua bike de acordo com os seus ajustes personalizados.

2. Esvazie os pneus e não transporte CO2 na mala bike

Esta dica pode parecer peculiar, mas você sabia que um pneu de bicicleta cheio pode explodir no compartimento de bagagens de um avião devido às alterações de pressão que a aeronave sofre durante a viagem? Por isso, esvazie os pneus antes de viajar. Caso você não queira esvaziar completamente seus pneus, deixe-os com uma pressão máxima de 15 psi. 

Pelo mesmo motivo que temos que esvaziar os pneus, cilindros de CO2 também não podem ser transportados neste tipo de viagem, ainda que estejam vazios, pois correm o risco de explosão. Para não ter prejuízos e ser obrigado a deixar para trás os seus equipamentos, evite o transtorno de levar cilindros de CO2.

3. Fique de olho nas legislações nacionais

Se você estiver planejando uma viagem para  pedalar em território nacional, é importante que você consulte as regras de embarque e transporte de objetos, seja em empresas de ônibus ou de avião. Órgãos como a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) delimitam franquias de bagagem por lei. Converse com seus amigos ciclistas que, certamente, te darão dicas de empresas mais flexíveis e simpáticas com amantes de bike! 

4. Redobre o cuidado para viagens internacionais

Com o crescente calendário de competições profissionais e amadoras no exterior, a vontade de viajar com sua bike aumenta a cada dia. Entretanto, para viagens internacionais é fundamental que você esteja atento a vários detalhes. 

Além pesquisar sobre regras específicas de transporte de bagagens especiais da empresa aérea que você vai utilizar, é preciso estar de olho na sua documentação. Para evitar problemas em alfândegas e departamentos de imigração, é preciso que você tenha sempre em mãos a nota fiscal da sua bicicleta e a guia de Recolhimento de Arrecadação da Receita Federal. Com isso, você não corre o risco de ser duplamente tributado pela Receita ao desembarcar.

Quer receber outras dicas de cuidados com sua bicicleta, como a mala bike, e melhores destinos para quem gosta de pedalar? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!