Você já treina pesado para emagrecer, ganhar condicionamento físico ou definir os músculos, mas acha que poderia aguentar um estilo diferente e eficaz de exercício?

Para atingir o objetivo desejado, são várias as formas de prática de musculação e atividades físicas, e o treino HIIT é um desses exemplos. Essa modalidade está cada vez mais popular e tem resultados comprovados, inclusive para ciclistas.

Não sabe o que é ou está em dúvida sobre seguir ou não esse treino? Conheça um pouco mais sobre ele e prepare-se para entrar de cabeça nesse mundo!

O que é o treino HIIT?

O termo HIIT é uma sigla para High Intensity Interval Training, que pode ser traduzido em português como Treino Intervalado de Alta Intensidade.

Essa forma de exercício alterna atividades em um ritmo bastante intenso durante um curto período e momentos breves de descanso ou movimentos de menor esforço. Isso deve ser repetido até que as séries acabem ou o atleta não tenha mais condições de continuar.

O HIIT envolve abdominais, agachamentos, flexões, saltos e muitos outros exercícios. Por conta da intensidade, ele eleva a temperatura corporal e o consumo de oxigênio — e é aí que está o segredo dos execícios curtos e exigentes.

Quais as vantagens?

O ciclista que adota essa pratica esportiva pode ganhar muito com o HIIT. Veja a seguir os principais benefícios que essa modalidade traz para o seu corpo.

Traz melhoras para o seu VO2

Fazer treinos de rápida duração e alta intensidade resulta no aumento da sua capacidade cardiovascular. Com o tempo, o seu corpo fica acostumado a utilizar mais oxigênio de forma eficiente durante um exercício aeróbico.

Esse limite é o chamado VO2 Máximo, muito importante para quem também gosta de fazer exercícios que podem ter longa duração, como o ciclismo.

Aprimora a sua resistência

Quem realiza treinos HIIT logo percebe que aguenta mais tempo durante pedaladas de longas distâncias ou até em exercícios mais lentos e cadenciados na musculação. Isso é importante também para quem não deseja perder o condicionamento físico.

Além da já citada melhora do VO2, isso acontece porque a alta intensidade dessa modalidade fortalece os músculos, que passam a aguentar movimentos mais exigentes e duradouros.

Não precisa de aparelhos nem muito tempo

O treino HIIT é bastante indicado para quem não possui uma academia montada em casa com vários equipamentos. Ele também é ideal para pessoas muito atarefadas e que não conseguem tempo para passar mais de uma hora fazendo atividades físicas.

No HIIT, você utiliza o peso do próprio corpo para fazer os exercícios, sem precisar de aparelhos. Além disso, o treino pode durar somente 20 minutos e já trazer o efeito desejado quando feito com certa frequência semanal.

Serve para emagrecimento

Quem deseja emagrecer também encontra nesse treino um grande aliado. Isso porque esses exercícios ajudam bastante no ganho de massa magra e eliminação de gordura, sem trazer a perda de músculo.

O segredo está na queima prolongada de calorias e gordura depois dos treinos intensos, o chamado efeito EPOC. Nele, o seu corpo pode passar até 48 horas gastando energia após o HIIT sem você ter de passar boa parte desse tempo em uma academia.

É eficiente no metabolismo da glicose

Estudos realizados pela Universidade de Turku, na Finlândia, comprovaram que exercícios intervalados de alta intensidade aumentam o metabolismo da glicose e a sensibilidade à insulina.

Isso é bastante importante para quem é diabético, pré-diabético ou simplesmente deseja manter o nível de açúcar no sangue sempre sob controle.

Vale ressaltar que o treino HIIT não precisa e nem deve ser a única prática esportiva de um atleta. Ele é bastante eficiente, mas traz resultados ainda melhores se realizado com outras atividades e mais hábitos saudáveis, incluindo o controle da alimentação.

Além disso, é sempre indicado consultar um médico e um profissional da área esportiva antes de iniciar a prática de alta intensidade. Curtiu o texto? Então siga a Assos Brasil no Facebook, Instagram e Twitter para mais conteúdos como este!