Todos os anos, alguns dos melhores ciclistas do mundo participam de campeonatos tradicionais e com alto nível técnico em diferentes cantos do planeta. Nesses torneios, nomes consagrados disputam o primeiro lugar de forma intensa, em um calendário anual de provas acompanhadas por uma legião de fãs.

Uma dessas competições é o Tour de Suisse. Esse evento é um dos mais aguardados por entusiastas e atletas da modalidade, tanto pelo nível dos ciclistas participantes quanto pela dificuldade e emoção das provas.

A seguir, conheça um pouco mais sobre essa volta e por que você deve acompanhá-la de perto na edição 2017.

A origem do torneio

O Tour de Suisse (ou Volta da Suíça, em português) é uma prova anual de ciclismo que foi disputada pela primeira vez em 1933. Durante toda a sua história, ela só deixou de acontecer em dois momentos: em 1940 e entre os anos de 1943 e 1945, ambos em decorrência dos conflitos da Segunda Guerra Mundial.

Essa competição é o quarto evento mais importante do mundo do ciclismo, atrás do Tour de France, do Giro D’Italia e da Vuelta a España. Na Suíça, ela é considerada a principal atração esportiva de todo o ano.

A atual organizadora é a International Management Group (IMG), uma das maiores corporações de gerenciamento de eventos competitivos e esportivos do mundo. É ela quem cuida também do Miss Universo, do Ultimate Fighting Championship (UFC) e da Maratona de Melbourne.

As regras foram bastante modificadas ao longo das edições para melhorar a competitividade e a condição dos atletas. Em diversas edições, por exemplo, os ciclistas eram prejudicados pelo clima frio da região, o que incluía até pedalar na neve.

A importância das provas

A Volta da Suíça faz parte do calendário dos atletas que disputam posições no ranking geral e é integrante do UCI World Tour, competição organizada pela União Ciclística Internacional, que reúne as principais provas do ano na categoria. Há um total de 37 provas mundiais distribuídas no calendário do ciclismo de 2017.

O Tour de Suisse ainda é uma das competições de ciclismo que mais gera visibilidade para atletas e patrocinadores. São cerca de um milhão de espectadores presentes nas estradas e trajetos, além de uma cobertura midiática intensa.

Além disso, ela é considerada um aquecimento importante para o Tour de France, que é a prova mais badalada do esporte. A etapa francesa acontece tradicionalmente algumas semanas depois da prova na Suíça e vários atletas já venceram as duas competições, utilizando uma como “teste” da outra.

Regras e funcionamento

O Tour de Suisse é uma competição bastante variada em formato, com nove provas diferentes espalhadas por todos os dias de disputa.

Elas incluem corrida por etapas, que são divididas em várias baterias por equipe, além de estágios em estradas que terminam no topo de uma montanha e trechos planos ideais para corredores de velocidade. Há também uma prova de contrarrelógio (time trial), em que os ciclistas largam separadamente e ganha quem completar o trajeto em menos tempo.

A dificuldade dessa competição é considerada alta: trata-se de uma prova de longa duração e com muitas subidas. No fim das contas, todo o esforço dos atletas é compensado inclusive pela paisagem: vários dos trajetos têm como vista os Alpes Suíços.

Os campeões e grandes nomes

O primeiro vencedor do Tour de Suisse foi o austríaco Max Bulla, que ficou famoso por chegar ao local da prova faltando poucas horas para o início da primeira bateria, após viajar a noite inteira de trem. Já o maior ganhador até agora é o italiano Pasquale Fornara, que levou o torneio quatro vezes na década de 1950 e ainda não foi superado em quantidade de vitórias.

Só que a hegemonia do atleta está ameaçada pelo português Rui Costa: ainda em atividade e participando das competições do UCI World Tour, ele é o primeiro tricampeão consecutivo da prova, com títulos de 2012 a 2014.

Entre os países vencedores, nenhum supera a própria Suíça: os donos da casa acumulam 23 vitórias, contra 19 dos rivais italianos, que ficam em segundo no ranking. Vencedor da Tour de France e do Giro D’Italia por cinco vezes cada, a lenda belga Eddy Merckx levou a etapa somente uma vez, em 1974.

O atual detentor do título é o colombiano Miguel Ángel Lopez, que neste ano está em busca do bicampeonato e é uma das atuais surpresas do esporte. Como curiosidade, vale citar que o norte-americano Lance Armstrong chegou a vencer a volta em 2001, mas teve o título revogado pela associação organizadora depois da condenação pelo uso de dopping durante essa e outras provas do circuito profissional.

O Tour de Suisse 2017

A edição de 2017 da Volta da Suíça acontece entre 10 e 18 de junho e contará com 23 equipes participantes. A distância percorrida muda a cada ano de competição, mas gira em torno de 1.300 km de pedalada. Já o desnível acumulado é de 17.500 metros.

A escalação de competidores está cheia de estrelas, o que significa que a disputa será acirrada e de alto nível técnico. Os campeões dos últimos cinco anos estarão presentes, mas não terão vida fácil: foram confirmadas também as presenças de Tom Dumoulin (atual vencedor do Giro d’Italia), Greg Van Avermaet (medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016 em corrida de estrada) e Philippe Gilbert (que já conquistou duas provas menores nos últimos meses).

Cidades de diferentes regiões do país estão confirmadas entre as etapas, incluindo Berna, Schaffhausen e a capital Zurique. A sexta etapa é a que mais promete. Com largada na cidade de Locarno, ela tem 166,7 km de distância e subidas bastante temidas. Já a sétima etapa é a que termina no ponto de maior altitude da competição: 2.780 metros acima do nível do mar, em Sölden. Visite o site oficial do evento para ter mais informações a respeito das provas e dos locais da competição.

Quer receber mais novidades sobre ciclismo e provas clássicas como o Tour de Suisse, incluindo dicas e curiosidades? Então assine a nossa newsletter e tenha essas informações sempre em primeira mão!