Também conhecida como Ronde van Vlaandere, a Tour de Flanders é uma corrida de ciclismo profissional de estrada que acontece na Bélgica. Com as provas Milão-Sanremo, Paris-Roubaix, LiègeBastogneLiège e Giro di Lombardia, ela compõe as clássicas da UCI World Tour.

A prova deste ano está marcada para o dia 1° de abril e promete muitas emoções. Confira o nosso post para ficar por dentro dos detalhes desta competição.

Como é a prova Tour de Flanders?

A prova, que acontece na região de Flandres, na Bélgica, é bastante dinâmica e intensa e, por isso, costuma ser a preferida de muitos ciclistas.

A emoção fica por conta das suas inúmeras subidas, colinas e trechos com paralelepípedos que fazem com que o percurso de aproximadamente 270km — que deve ser percorrido em apenas um dia — seja bastante desafiador.

A largada acontece em Amberes, na Antuérpia, e a prova termina na cidade de Oudenaarde. Durante todo este trajeto, serão 18 trechos de subidas, sendo 11 desses trechos com paralelepípedos, também chamados pavés. E os pavés não param por ai, eles também estarão em 5 dos trechos planos.

As subidas de Oude Kwaremont e Paterberg serão percorridas mais de uma vez durante os 267km e, além delas, as épicas Kapemuur e Koppenberg trarão destaque para a competição.

Como estar preparado para o Tour de Flanders?

Não restam dúvidas de que a Volta a Flandres é um desafio enorme para todo ciclista. Os obstáculos são diversos e a longa distância faz com que até mesmo profissionais tenham dificuldade em completar a prova.

Por isso, estar preparado para o estilo da competição é essencial. E quando falamos em preparo, estamos falando não só em condicionamento físico, mas também em estratégias, uso da bike correta e muito mais.

Adaptar-se a subidas com inclinações de até 20% é essencial, uma vez que elas estão presentes na competição. Além disso, é importante treinar em trechos de paralelepípedos. Algumas pessoas subestimam a dificuldade que os pavés adicionam à prova, mas os trechos não asfaltados fazem com que a bike fique mais instável, aumentando o cansaço corporal, a força com que a mão segura a bike etc.

A dica para os trechos com pavés é manter uma velocidade alta, dessa forma os pneus deslizam melhor sobre o chão, diminuindo o impacto em cada extremidade dos bloquinhos. Outro fator que faz toda a diferença é o peso da bike, que deve ser leve, e a largura dos pneus: pneus mais largos trarão menor resistência à rolagem e maior conforto para o ciclista.

Quem deseja ter sucesso na competição também precisa estar preparado para pedalar com muitos ciclistas por perto, já que alguns trechos do percurso são bastante estreitos. Vale lembrar que o clima pode mudar bastante de ano para ano e, por isso, quem está acostumado a pedalar em dias frios, quentes, com chuva ou sem chuva, leva a melhor.

Como foi a edição de 2017?

A última edição da corrida teve um percurso bastante similar ao deste ano, com a diferença de 7km — foram 260km no ano passado. As 18 subidas e os 5 trechos planos com paralelepípedos também estavam presentes na competição.

O destaque da corrida de 2017 foi a volta da subida de Koppenberg, que ficou de fora da competição depois do ano de 2011 e é considerada uma das etapas mais difíceis, com inclinação máxima de 19,8%.

A primeira colocação ficou com o ciclista belga, Philippe Gilbert. Gilbert emocionou o público, cruzando a linha de chegada sozinho. Sua equipe também conquistou o terceiro lugar, com o holandês Niki Terpstr que chegou depois do, também belga, Greg Van Avermaet.

E se você ainda não conseguiu imaginar quão desafiadora é a prova, dos 248 ciclistas que participaram da competição em 2017, apenas 121 cruzaram a linha de chegada.

Não é à toa que a Tour de Flanders ganhou tanto destaque entre as provas de ciclismo. Com emoção do começo ao fim, ela é umas das competições que mais agradam quem ama pedalar. Não deixe de acompanhar a edição deste ano que promete ser mais um sucesso!

E se você gostou do nosso post de hoje, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades!