Nenhum resultado é obtido do nada. Independentemente do esporte em questão, o bom desempenho e as vitórias só são alcançados com esforço e dedicação. Esse aspecto é um dos motivos que fazem a prática ser tão necessária no âmbito esportivo.

Nesse sentido, o treinamento de base para ciclismo é bastante importante, pois capacita o atleta a ter uma performance elevada.

Se você quiser saber mais sobre o assunto, continue lendo o post!

O que é um treinamento de base?

Durante uma temporada, o ideal é que o ciclista siga uma periodização de seus treinos. Ao seguir um cronograma específico, aumentam as chances de se chegar às competições melhor preparado.

O treinamento de base nada mais é do que uma das etapas do calendário que precisa ser cumprido para que o planejamento traga os resultados desejados.

Treinar suas bases significa preparar as estruturas para que você tenha uma boa condição de performar em alto nível. Ou seja, é um treino focado em aquisição de massa e resistência muscular. Ele prepara o seu corpo, geralmente entre 8 e 10 semanas, para aguentar as provas e ser resistente às dificuldades.

Vale frisar que ele é o segundo estágio inserido em um planejamento estratégico maior, que ainda contém:

  • a transição anterior à base. Ela dura algo entre duas ou três semanas e representa a readaptação depois de um período de férias ou fim de ano;
  • a pré-competição posterior à base. Esse tempo, que vai de seis a oito semanas, é destinado à preparação já voltada para a modalidade do ciclista;
  • o período de competição. Nele, o volume é diminuído e a intensidade é pensada em relação às especificidades do torneio em questão. Leva de três a quatro semanas para ser concluído.

Quais adaptações fisiológicas ocorrem após sua realização?

Quando você acabou de passar pela transição, é natural que suas condições estejam um pouco abaixo do esperado, devido ao relaxamento inerente à folga. Por isso, vale frisar a importância de se consultar com um médico antes de iniciar o treinamento de base, até mesmo porque ele exige adaptações de nosso sistema fisiológico.

Como é focado no condicionamento aeróbio, ele desenvolve fibras musculares do tipo I, além de aumentar:

  • o número de células vermelhas no sangue;
  • a densidade e o tamanho das mitocôndrias;
  • o estoque de glicogênio muscular;
  • o volume sanguíneo;
  • a capitalização dos músculos.

Todas elas permitem ao corpo a produção de energia pelo sistema aeróbio. Não se esqueça: você está se readaptando. Portanto, não exceda seus próprios limites.

Como o treinamento de base deve ser feito?

Além dos cuidados já citados, a principal ideia é aumentar o volume de treino de maneira progressiva. Sendo assim, pegue leve nas duas primeiras semanas e vá acrescentando intensidade aos poucos.

O reforço muscular é indispensável, fazendo com que o acompanhamento de um profissional especializado seja mais que bem-vindo. Afinal, ele poderá dosar a carga de treinos e pesos da melhor forma.

Mais do que isso: ele pode ajudar você com a variação dos exercícios, que também é algo relevante no período de treinamento de base para ciclismo. Seguindo esses passos, você poderá desempenhar com excelência sem colocar a sua saúde em risco.

Gostou do texto? Tem alguma outra dica? Então, deixe um comentário relatando suas impressões!