Provavelmente você já viu algum jogador de futebol em uma banheira cheia de água e gelo após uma partida. O mais engraçado dessa situação é a expressão facial dos atletas que aceitaram o desafio de entrar nessa fria.

No entanto, os jogadores não ficam ali parados por diversão. Pelo contrário, o objetivo é alcançar a recuperação física depois de uma atividade física intensa.

Essa prática, conhecida como crioterapia, está chegando no ciclismo. Afinal, o desgaste após subir e descer ladeiras provoca lesões que prejudicam qualquer atleta.

Neste artigo, vamos apresentar mais informações relacionadas às banheiras de gelo. Descubra como funcionam, quais seus benefícios e conheça outros detalhes surpreendentes.

O que é a banheira de gelo?

Já imaginou o quanto de energia gastamos durante uma pedalada? Mesmo que aumentemos a cadência durante o seu trajeto, temos microlesões devido ao desgaste físico.

Para curar as lesões, muitos ciclistas utilizam a técnica da crioterapia, conhecida como balde de água fria. Ele é responsável por acelerar o processo de recuperação e torná-lo mais eficiente.

A imersão em água gelada coloca a sua coragem à prova. São utilizadas temperaturas entre 5 a 10 ºC, por um tempo em torno de 15 a 20 minutos para que o atleta alcance o resultado desejado.

Vai encarar?

Quais são os benefícios da crioterapia para a recuperação física?

Quem aceita o desafio do balde de água garante diversos benefícios para o seu corpo, entre os quais:

  • anestesia: a técnica ajuda a diminuir a dor;
  • anti-inflamatório: as baixas temperaturas potencializam a pressão nos vasos, assim como a concentração de oxigênio;
  • diminuição do espasmo: a chance de ocorrer câimbras ou contrações involuntárias após o exercício físico é pequena.

No entanto, a crioterapia não pode ser realizada de qualquer forma. Caso você tenha programado uma nova corrida nos próximos dias, esqueça esse procedimento. Ele diminui o metabolismo e a temperatura corporal. Para completar, promove vasoconstrição e reduz a sua performance. Então, fique atento!

Como aplicar a crioterapia?

O uso da bolsa térmica é a forma mais conhecida. Aqui, basta colocar o acessório no local específico por, no máximo, 20 minutos de contato contínuo com a pele.

Outro método conhecido é a compressa fria. O atleta utiliza uma toalha molhada em água bem fria. Há também a opção de envolver cubos de gelo com o tecido. Para surtir efeito, recomenda-se usar a aplicação por cerca de 20 minutos, diversas vezes ao longo do dia.

Já o banho de imersão é a moda em alta no esporte. Nele, o ciclista entra em uma banheira e fica com as pernas totalmente submersas.

Aqui no Brasil, esse recurso foi muito utilizado na corrida entre São Paulo e Rio de Janeiro, no desafio dos 600 Km.

Em um primeiro momento, ele parece assustador, mas os resultados são imediatos. No entanto, se você utilizou essa técnica e não percebeu mudanças, procure um médico. Ele indicará qual é o melhor tratamento para a recuperação física.

Agora que você já sabe como conquistar a recuperação física, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais para que outros ciclistas conheçam a crioterapia.