Já não estamos no tão falado ano olímpico, mas em 2017 quais serão os retornos que esse grande evento esportivo proporciona: o legado olímpico.

Um dos legados mais importantes das olimpíadas é a melhora da infraestrutura de diversos esportes, como o ciclismo. É possível aproveitar as obras realizadas e investir cada vez mais nessa área, proporcionando locais de treinos melhores para os atletas.

Porém, nem sempre é isso o que acontece! Muitas vezes, as obras acabam sendo inutilizadas ou, até mesmo, destruídas! Ficou curioso para saber qual o legado olímpico para o ciclismo? Então continue essa leitura e conheça mais sobre o assunto!

Quais as estruturas de ciclismo construídas para as Olimpíadas Rio 2016?

A principal construção utilizada pelos ciclistas, durante as Olimpíadas Rio 2016, foi o velódromo. Localizado no Parque Olímpico da Barra, foi o local sede para as provas de ciclismo, sendo elogiado por vários atletas. Foram realizados diversos tipos de provas no velódromo, como velocidade por equipes e desafios individuais.

Houve, também, provas de ciclismo no Centro Olímpico de BMX, parte do Complexo Esportivo de Deodoro. O centro possui uma área de 4.000 m² e está localizado no Parque Radical. Nele, eram realizadas provas de ciclismo BMX, com rampas e percurso de terra.

Qual o provável futuro do legado olímpico para o velódromo?

O velódromo ainda possui futuro incerto. Apesar de ser uma instalação com grande potencial, a estrutura estava fora dos padrões olímpicos, pois foi construída para os Jogos Pan-Americanos de 2007.

Devido a isso, foram necessárias diversas mudanças no local, para que ele pudesse ser utilizado durante as Olimpíadas Rio 2016. Porém, mesmo com toda a melhoria, há uma especulação de que o velódromo possa ser demolido. Entretanto, esse não é o único futuro possível da construção.

Ainda há a possibilidade de que o local seja transformado em uma casa de shows – devido ao tipo de estrutura do velódromo. Além disso, existe também a ideia de que as instalações continuem sendo utilizadas para o intuito que foram construídas: o ciclismo.

Nesse caso, cogita-se a possibilidade de reativar a área e realizar provas internacionais no local, aproveitando o legado olímpico da melhor maneira. Assim, o velódromo ainda poderá ser utilizado para formar novos atletas, desde as categorias de base.

E qual é o legado para o Parque Radical?

Já o Parque Radical, na região de Deodoro, foi mantido após a conclusão dos jogos olímpicos e será utilizado para lazer e treinamento esportivo de alto rendimento. Por outro lado, o Centro de Mountain Bike não será mais utilizado, pois foi uma instalação temporária. É uma ideia que contraria muitos atletas que contavam com os excelentes recursos do local para treinar Mountain Bike

O Centro de BMX é o que apresenta as melhores expectativas após o fim dos jogos: a intenção é que ele seja mantido para que os atletas possam treinar. O local ficará aberto para que as pessoas possam usufruir das suas instalações e usá-las também para o lazer.

Percebeu como o legado olímpico pode ser importante? Vale ressaltar que as instalações para o ciclismo ainda não tiveram seu futuro definido, porém, são equipamentos importantes que podem ser locais para treinamento de atletas, incentivando ainda mais o esporte!

O que achou do legado olímpico reservado para o ciclismo? Participe da conversa com a gente aqui nos comentários!