Uma das provas mais clássicas da história do ciclismo, o Giro di Lombardia faz parte da fase final do UCI World Tour e representa toda a paixão e tradição do ciclismo na região. Realizada desde 1905, a prova não aconteceu somente em dois anos: 1943 e 1944.

Celebrando a região norte da Itália, próxima de Milão, a competição também figura entre as mais belas de toda a Europa. Seu nome original é Il Lombardia, e nós vamos explorar um pouco mais sobre sua história e características a seguir.

Vamos nessa?

Como é a disputa do Giro di Lombardia?

Primeiro de tudo, se você ainda não assistiu à chegada da edição da prova em 2016, não perca tempo, pois vale muito a pena. Os colombianos Esteban Chaves e Rigoberto Urán, junto do italiano Diego Rosa, disputaram um sprint capacete a capacete na fase final da prova em Bérgamo.

O Giro di Lombardia é essencialmente uma prova de ciclismo de estrada na serra italiana. O percurso tem cerca de 240 quilômetros saindo da cidade de Como e chegando em Bérgamo.

Sua fase inicial é icônica, passando pelo Lago Como, que atrai muitos turistas para a região. O final também, com descidas íngremes na província que é capital da região.

Os principais times do UCI World Tour são automaticamente convidados, mas times da região e convites extras também são distribuídos. Em 2016, a vitória ficou com o time Orica-BikeExchange, de Esteban Chaves, que terminou a prova em 6 horas, 26 minutos e 36 segundos.

Quais os maiores desafios?

Entre os maiores desafios da prova, estão as subidas de até 17 graus, o que em algumas situações leva os participantes ao extremo. Alguns simplesmente correm na subida, empurrando a bicicleta.

Especialmente na segunda metade do percurso, subidas e descidas se dividem, colocando à prova toda a resistência dos atletas.

Outro fator primordial é a instabilidade do clima na região, que pode mudar a qualquer momento e transformar a prova de diversas formas, influenciando nas estratégias e no resultado final.

Quais são os lugares que a prova passa?

Este ano, diferentemente do percurso tradicional, a prova sairá de Bérgamo para chegar em Como.

Um atrativo à parte e nem sempre presente, o Muro di Sormano será parte do percurso em 2017 e promete fazer com que os competidores sofram. A inclinação na região pode chegar até os 25 graus de elevação.

A prova também passa pela cidade de Madonna Del Ghisallo, a santa padroeira do ciclismo. Na região, também existe o Museo del Ciclismo e uma igreja celebrando a santa.

O Giro di Lombardia é considerado uma das cinco provas clássicas monumentais do circuito mundial. Com uma rica cultura do ciclismo na região, um percurso sinuoso e maravilhoso, é difícil não se encantar por Il Lombardia e todos os seus desafios!

Vale muito a pena ficar ligado para acompanhar a edição de 2017, que segue a tradição e acontece em outubro.

Gostou do nosso post? Ficou interessado pelo Giro di Lombardia? Não vá perder, hein! Para receber mais conteúdos de ciclismo, assine agora mesmo a nossa newsletter.