A importância da água para o nosso organismo é indiscutível. Além de fazer parte da formação de todas as células, regular a temperatura corporal, auxiliar no transporte de substâncias e fazer parte do processo de respiração celular, a água está presente em todas as reações que mantêm o nosso corpo vivo.

Sendo assim, não é difícil imaginar por que a hidratação é tão importante, não é mesmo? E essa importância é ainda maior quando falamos de atividades físicas como o ciclismo. Isso porque durante as pedaladas, o corpo realiza um esforço maior do que o comum, utilizando mais água para o funcionamento e, também, perdendo mais líquido por meio do suor.

Por isso, se você ama as pedaladas, confira, no nosso post, mais informações sobre a importância da hidratação para ciclistas, além de dicas sobre como se manter hidratado antes, durante e após a atividade física.

Por que a hidratação é tão importante?

Para entendermos melhor a importância da hidratação, vamos citar alguns perigos associados a um corpo desidratado:

  • diminuição do fluxo sanguíneo;
  • aumento da frequência cardíaca;
  • esforço excessivo dos pulmões;
  • sensação de tonturas;
  • aparecimento de dores de cabeça;
  • redução da obtenção de energia com uso de oxigênio;
  • dificuldade no transporte de substâncias pelo corpo.

Sendo assim, manter o corpo hidratado faz com que as funcionalidades sejam preservadas e que o desempenho do ciclista não seja prejudicado.

Como hidratar o corpo de forma correta?

Ao contrário do que muitos pensam, o processo de hidratação não deve acontecer somente durante as pedaladas. O corpo precisa ser hidratado antes, durante e, principalmente, após o esforço físico. As recomendações para cada período são:

  • antes: meio litro de um a trinta minutos antes da atividade;
  • durante: um litro durante cada hora da atividade, tentando manter uma média de 100ml a cada 5 minutos;
  • depois: o ideal é repor todo o líquido perdido até que a urina volte a ter uma coloração clara, próxima ao transparente.

As quantidades são importantes, mas não são as únicas variáveis a serem levadas em consideração. Quando suamos em excesso, perdemos não só água, como também sais minerais. Por isso, quando as pedaladas forem de longa duração ou muito intensas, como no caso de provas ou dias com temperaturas muito elevadas, deve existir um cuidado com a reposição das substâncias perdidas junto à água.

Quais as melhores bebidas?

Beber água é, sem dúvidas, uma das melhores formas de hidratar o corpo, mas, como dito, em trajetos muito longos ou dias muito quentes, a necessidade do corpo é um pouco maior. Por isso, deve-se apostar em bebidas com a capacidade de fornecer ao corpo eletrólitos, sais minerais e vitaminas.

Para essa reposição, as bebidas isotônicas se apresentam como ótimas opções por possuírem, em suas composições, sódio, potássio, cloro e outras substâncias importantes para as reações do nosso organismo.

Caso as bebidas isotônicas não estejam disponíveis naquele momento, vale a pena considerar o soro caseiro. Apesar de ser simples, ele é muito eficiente no processo de reposição de sais e açúcares.

E atenção às bebidas que devem ser evitadas: refrigerantes, sucos artificiais, sucos cítricos, bebidas alcoólicas e gasosas podem trazer desconforto gástrico e apresentarem um efeito diurético grande.

Não se esqueça de que hidratar o corpo é importante não só para o seu rendimento como ciclista: o corpo precisa estar hidratado todos os dias para uma vida mais saudável. Nesse processo de hidratação, os alimentos também possuem uma função essencial.

Por isso, aposte em uma alimentação de qualidade no dia a dia e, principalmente, nos períodos pré e pós-treino. Vegetais e frutas serão grandes aliados no fornecimento de água, vitaminas e sais minerais. Além disso, invista em carboidratos, proteínas e gorduras de boa qualidade.

Esses macronutrientes, além de ajudarem no processo de obtenção de energia, fazem parte da manutenção do tecido muscular, favorecem a saciedade e fornecem ao corpo os nutrientes necessários para uma vida mais saudável.

E se você gostou de ler sobre hidratação para ciclistas, não deixe de conferir também a relação entre desidratação e cãibras no ciclismo.