O inverno chegou para valer! Com as temperaturas consideravelmente mais baixas, todo mundo sabe que precisa tomar cuidados especiais — e um deles envolve justamente pedalar no frio. Por mais difícil que seja sair da cama quentinha, as pessoas realmente apaixonadas pelo pedal, acabam levantado para se exercitar.

Para não sofrer com queda no desempenho e outros problemas trazidos pelo frio intenso, leia este post. Veja aqui como se preparar para esse desafio e como essas dicas são fundamentais para sua segurança! 

O perigo de pedalar no frio despreparado

Sempre que seu organismo vivencia uma queda de temperatura interna, ele aciona um processo comum e de preservação. Isso acontece para restabelecer o equilíbrio orgânico e deixar o corpo nos tradicionais 37ºC — que é quando ele opera com mais facilidade.

Esse processo acontece aumentando a captação de oxigênio e, por outro lado, diminuindo o volume máximo do oxigênio. Se você acha que isso parece contraditório, essa combinação é a responsável pelo custo metabólico das atividades aeróbicas.

Isso significa que essa adaptação é a responsável por controlar o custo e fazer com que você consiga performar bem, mesmo com as temperaturas mais baixas.

Veja agora algumas medidas práticas que você pode (e deve) adotar para pedalar no inverno: 

1. Invista em um bom vestuário para se manter aquecido

Quando as temperaturas caem, é bom tomar cuidado e ser prudente. A hipotermia é um reflexo desse ponto, já que é um resultado de quando a temperatura interna cai. Para entender como isso é importante, pense que quando a temperatura central fica abaixo de 27,5ºC, elas podem simbolizar morte e trazer vários outros problemas para o organismo. 

Para que isso não aconteça, invista em um vestuário que mantenha o seu corpo aquecido. Para completar, você também pode apostar em equipamentos que ajudem nesse sentido, como capas de chuvas ou capas aquecedoras. Acredite: assim fica muito mais seguro pedalar no frio.

2. Controle a respiração corporal

Como o ambiente costuma ficar um pouco mais seco, alguns praticantes também revelam uma dificuldade maior em respirar nos períodos mais frios. Para não sofrer com isso, é fundamental aquecer e umidificar o ar que entra logo ainda no trato respiratório.

Pense que, quando isso não acontece, você pode sofrer com o enrijecimento das paredes dos brônquios — o que compromete a absorção de oxigênio. Por isso, controle a respiração a todo momento e fique de olho em qualquer irregularidade.

3. Mantenha os pés e mãos aquecidos

As extremidades do corpo podem apresentar um pouco mais de dificuldades em se manterem aquecidas nesse tempo. Sabendo disso, invista em mecanismos que ajudem. É fundamental comprar luvas, meias mais grossas e um tênis que mantenha seu pé aquecido.

Esse isolamento é fundamental para o bem-estar e, conforme começa a se exercitar, a tarefa de manter tudo aquecido fica mais fácil.

4. Não descuide da hidratação

É natural sentir menos sede nesse período, mas, ainda assim, é bom tomar cuidado e investir em uma hidratação periódica. Conforme você se exercita, é natural que perca parte dos líquidos, então é sempre bom repor.

Mesmo quando não sentir frio ou não perceber que está suando, não descuide desse ponto e garanta um trajeto melhor.

Depois de descobrir medidas práticas que você pode adotar para pedalar no frio com mais facilidade, não deixe de colocar todos esses pontos em prática. Essa é uma maneira de seguir se exercitando e prezar sempre pela segurança.

Se você gostou das nossas dicas, então não pode deixar de acompanhar todos os outros conteúdos que temos produzido. Assine a nossa newsletter agora mesmo e garanta tudo no seu e-mail. Nos encontramos por lá!