Treinar é importante para que você mantenha o condicionamento físico, fortaleça a musculatura e esteja pronto para disputar provas dos mais variados níveis de dificuldade.

Porém, seja você um atleta profissional ou amador, é preciso tomar alguns cuidados para não atingir o chamado overtraining, que pode trazer consequências bem negativas no seu desempenho. 

A seguir, entenda um pouco o que é isso e saiba se você está ou não passando por essa situação.

O que é overtraining?

O overtraining pode ser traduzido literalmente como excesso de treinamento. Ele acontece quando você impõe ao corpo uma carga exagerada de exercícios, sem o devido tempo de recuperação antes de uma nova sessão de atividades físicas.

Atletas amadores e profissionais podem passar por isso ao forçar demais determinados movimentos, lidar com cargas excessivas de peso e exagerar no tempo dedicado ao exercício.

Por isso, é importante que o atleta alterne momentos de estímulo dos músculos com descanso. Essas pausas precisam ser ainda maiores após a realização de provas de alta intensidade em competições.

Quais são os principais sintomas?

O seu corpo dá sinais bem claros de que você ultrapassou o próprio limite. Conheça, a seguir, alguns dos sintomas mais claros do overtraining.

1. Lesões duradouras

Dores musculares não são raras em quem pratica muitas atividades físicas. Porém, um sinal do overtraining é a dificuldade na recuperação até das lesões mais comuns.

O surgimento de um problema físico atrás do outro — tanto na mesma parte do corpo quanto em regiões diferentes — também é um indicador de que você está treinando acima do limite.

2. Cansaço excessivo

Logo após o treino mais pesado, é natural sentir uma carga de cansaço acima do normal. Porém, essa sensação de exaustão deve passar depois de um tempo.

Caso isso não aconteça, trata-se de um sinal clássico de overtraining. O atleta perde o condicionamento físico para aguentar os exercícios das próximas sessões e fica sem energias até para realizar tarefas cotidianas, como no ambiente de trabalho. Dessa forma, ele pode até levar alguns dias para voltar a ter disposição.

3. Dificuldade em vencer pequenos percursos 

Sabe aquela rota tranquila e de curta duração que você realiza para não ficar tão cansado? Caso você sofra com o excesso de treinamentos, até esses passeios se tornam mais difíceis de serem vencidos.

Por conta da recuperação inadequada do corpo, o atleta passa a apresentar problemas para completar sessões mais leves de pedaladas ou musculação, além de sentir cãibras com maior frequência.

4. Baixa imunidade

Um atleta que segue a dieta correta, faz exercícios regularmente e cuida da saúde no geral, pode ficar doente com muita frequência por conta do overtraining.

Isso porque o sistema imunológico fica comprometido e não atua com tanta eficiência. Os problemas vão desde doenças mais simples, como gripes e viroses, até infecções.

5. Ansiedade

Não deixar o corpo relaxar entre as sessões pode resultar também em problemas psicológicos. O mais comum é a ansiedade, especialmente quando o atleta passa a identificar os sintomas acima e notar a queda no desempenho.

Isso também pode levar você a desenvolver insônia — e sono inadequado não é nada indicado para quem pratica atividades físicas com frequência.

Você já passou por esses sintomas de overtraining em algum momento das suas atividades físicas? Tem alguma dica sobre como superar esses momentos de excesso e manter o alto desempenho? Então, deixe o seu comentário aqui no post!