Todo esporte tem seus ícones. São aqueles atletas que enchem os nossos olhos com performances fantásticas, e acabam fazendo muito sucesso por causa disso. É claro que no ciclismo não poderia ser diferente. Por isso, continuando a nossa série, falaremos neste post sobre a história de dois grandes ciclistas que fizeram bonito no mundo das bikes.

Quer saber quem são eles? Então, vamos lá!

Nairo Quintana

Apesar de dividir o sobrenome com o famoso poeta gaúcho, Nairo Quintana não colocou seu nome na história por causa dos livros, mas sim por causa da bike.

Com 26 anos de idade, esse colombiano da cidade de Tunja é um dos grandes nomes da Movistar Team, uma equipe que só em 2016 já conquistou o 1º lugar na Volta a Catalunya, o 1º lugar na Route du Sud, realizada no sul da França, e o 1º  lugar na Tour de Romandie, na Suíça.

E isso sem falar das vezes em que o atleta chegou entre os três finalistas da famosa Tour de France.

A bicicleta como meio transporte

Agora, quem acha que ciclistas como Quintana já nascem com o dom de pedalar profissionalmente, vale lembrar que a experiência do colombiano com a bicicleta surgiu por causa de uma necessidade.

Filho de agricultores, Quintana desde cedo precisou da bike para conseguir ir e voltar da escola, que ficava no vilarejo vizinho ao seu. Só que esse vilarejo ficava a 16 quilômetros de onde ele morava! Usar a bicicleta como meio de transporte diariamente ajudou bastante na formação esportiva e educacional do campeão.

Bernard Hinault

Nascido em 1954, na França, Bernard Hinault é uma das maiores lendas vivas do ciclismo. E não é por menos: além de ter ganhado vários campeonatos, como o Tour de France, que venceu cinco vezes, e o Giro d’Italia, Hinault também sempre chamou atenção por sua atitude que o fez ser conhecido como “o chefe do pelotão”.

Para se ter uma ideia, em 1978, ele liderou uma “greve” de ciclistas em protesto contra as divisões que existiam no esporte. Além disso, ele lembrava aos outros ciclistas que os atletas deveriam se ajudar para enfrentar desafios maiores no outro dia.  

A tríplice coroa do ciclismo europeu

Até hoje, o último francês a ter conquistado um Tour de France, Hinault tem em seu currículo outra grande façanha: ser um dos únicos a ter conquistado, na sequência, três dos maiores campeonatos de ciclismo da Europa: a Volta a Espanha e os já citados Giro D’Italia e Tour de France.

O ciclismo, a transformação e a motivação

Nairo Quintana e Bernard Hinault são ícones que evidenciam o poder transformador e motivador do ciclismo. Quintana mostra, com a sua história, como o esporte pode transformar vidas.

E Hinault, que, aos 61 anos, continua participando de campeonatos (em 2013, pedalou na La Etapa Argentina do Tour de France), demonstra a força que o esporte inspira nas pessoas. Os dois atletas provam que o ciclismo vai muito além do ato de pedalar.

Curtiu o nosso post? Então, aproveite para conhecer e se inspirar com as histórias de outros ciclistas famosos, como Fabian Cancellara e Eddy Merckx.