Com o aumento de ciclovias nas cidades brasileiras, a compra de bikes tem sido uma prática muito comum. Entretanto, quando o assunto são bicicletas e mulheres é preciso tomar devidos cuidados para não se deixar levar por mitos, sem falar que a escolha do modelo depende de muitas variáveis, como estilo e tamanho da pessoa. 

Neste post, vamos começar traçando 3 recomendações básicas na hora de definir a bike. Depois, mostraremos também mitos que não merecem a sua atenção! Então vamos a eles! 

3 recomendações para mulheres que andam de bicicleta

1. Defina o padrão de uso

Como existem inúmeros modelos de bicicletas femininas, de passeios urbanos a MTB, é preciso saber antes da compra qual será a utilidade da sua bike. Se for apenas para passear com a família aos finais de semana em parques ou ciclovias, sempre no asfalto, escolha uma bicicleta mais simples, as chamadas híbridas. 

Também existem as Comfort, muitas com cestinhas na frente e com o guidão e aro maiores. Trata-se de um modelo para quem quer apenas relaxar em uma manhã de domingo, por exemplo. 

Já as MTB (Mountain Bike) são feitas exclusivamente para mulheres que querem se aventurar por trilhas, bem reforçadas e com sistemas de freio e trocadores de marchas que garantem um maior desempenho. A maioria vem com amortecedores que aguentam terrenos bem íngremes. 

E as speeds são adequadas para mulheres que gostam de velocidade, sempre no asfalto, pois os pneus são mais finos e não suportariam as pancadas das trilhas. Muitas dessas bikes têm preços mais salgados e necessitam de certa experiência na condução. 

2. Escolha um bom quadro 

Independentemente do modelo escolhido, é preciso ficar atenta ao tamanho do quadro, compatível com a sua altura. Analise o tamanho do seu cavalo, colocando uma revista no vão das pernas e medindo a distância até o chão. 

Ao “chegar à loja com a especificação, o vendedor saberá te oferecer o tamanho mais indicado, podendo ser de 16”, 18″, 19″, enfim, há vários diferenciados. 

Este item é importante para um maior conforto nas pedaladas, principalmente nas longas distâncias, pois garante a correta posição da coluna. Veja também o tamanho do aro da roda, que pode variar, como 26” ou 29″. Quanto maior for, mais alta será a bicicleta. 

3. Analise o custo-benefício e fique atenta à relação 

Muitas bikes podem custar o preço de um carro popular, como as full, com amortecedores em dois pontos, sem contar com sistemas muito evoluídos de freios e passadores de marchas. 

Caso você esteja começando no esporte, analise o conforto. Peça para dar uma pedalada no quarteirão da loja e troque as marchas e também veja se o selim (banco) é atrativo. 

Agora, se você já está habituada a pedalar e quer aumentar o desempenho, não deixe de escolher um bom kit na relação das marchas, sempre com marcas muito recomendadas, como Shimano Alívio ou Deore. 

Opte por freios a disco e não dispense um bom amortecedor. Com um investimento de R$ 3.000,00, você poderá melhorar muito os treinamentos sejam em MTB ou Speed.

2 mitos que envolvem a prática do ciclismo para mulheres

Agora, que tal ver mitos que não passam de informações inverídicas sobre bicicletas e mulheres? Continue desfrutando de nossa leitura! 

1. Andar de bike influencia na sensibilidade da vagina? 

Este é um mito clássico, pois a área dos grandes lábios vaginais protege o órgão sexual assim como o uso adequado de bermudas com forros, sem falar em selins mais confortáveis. 

As mulheres podem sentir uma dormência na região vaginal, mas nada que comprometa a sensibilidade sexual. Irritações ou inflamações podem ser evitadas na escolha de calcinhas de lycra ou de materiais mais leves. 

2. Pedalar emagrece?

Apesar dos benefícios comprovados das pedaladas para a saúde como um todo, manter apenas uma rotina de exercícios aeróbicos sem uma devida alimentação balanceada não significa que você conseguirá perder peso.

Pelo contrário, pois a atividade acaba fazendo com que o organismo peça mais nutrientes. Ou seja, para perder peso é preciso, além de pedalar, fazer uma reeducação alimentar. 

Ah, e não se esqueça de sempre utilizar os equipamentos adequados para garantir a sua segurança em cima das duas rodas!

E aí, gostou do post sobre bicicletas e mulheres? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de mais assuntos sobre o mundo das bikes!